Anúncio Patrocinado


Um novo estudo, realizado pela Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, demonstrou que, para ficar totalmente livre do contato com germes e bactérias, o indivíduo precisa manter constantemente as superfícies de seu apartamento ou escritório limpos. Falando dessa maneira, parece uma ação óbvia a se fazer, mas especialistas reforçam a necessidade de redobrar a frequência da limpeza. 

Por cinco semanas e meia, pesquisadores estudaram superfícies de uma clínica veterinária, utilizando um corante fluorescente que fica visível apenas sob luz negra. Eles checavam, diariamente, se as superfícies estavam limpas – isto é, se as marcas de contato ainda apareciam em luz negra. Para que a superfície pudesse ser considerada limpa, era necessário que todo o corante fosse removido durante a limpeza.

Anúncio Patrocinado

Objetos que eram frequentemente utilizados, como instrumentos médicos e teclados de computador – demonstravam estar limpos com menos frequência do que superfícies de mesas, por exemplo. A pesquisa foi realizada em diversas clínicas veterinárias da região e, em todas, o resultado foi semelhante, segundo os pesquisadores.

Jason Stull, professor assistente de medicina veterinária da Universidade Estadual de Ohio, comentou que é necessário criar listas de verificação de limpeza para garantir que as superfícies estejam sempre livres de bactérias e germes: “O conceito de doenças infecciosas está ao nosso redor o tempo todo, mas agora é mais importante do que nunca tomar medidas para nos proteger”, acrescentou Stull.

Além disso, o professor também adicionou que, devido ao fato do novo coronavírus permanecer em certos tipos de superfície por horas, ou até dias, o cuidado nessa época deve ser redobrado: “Nas clínicas veterinárias, outras empresas e certamente hospitais humanos, a limpeza e desinfecção da superfície é extremamente importante. As pessoas entram e podem contaminar uma área e essa área potencialmente pode servir como fonte de infecção para outras pessoas”, disse, em nota, na publicação da pesquisa.

Ele e os demais pesquisadores compreendem que, apesar dos esforços, é impossível manter uma superfície 100% limpa e desinfectada de possíveis bactérias. Por isso, é necessário que os indivíduos também se lembrem de terem cuidado com os locais de muito contato físico, para evitar a contração de doenças.

Ser diligente quanto a limpeza é uma tarefa que deve ser constantemente necessária, e não apenas durante uma pandemia: “Quando chegarmos ao final disso, e em algum momento que acontecerá, você provavelmente verá as pessoas voltarem à normalidade. O que precisamos é de uma mudança de cultura, para que as pessoas reconheçam essa infecção”, acrescentou o professor e líder do estudo.



Fonte do Artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui