Anúncio Patrocinado


A depressão é um dos maiores transtornos psicológicos dos tempos modernos, e embora deva ser tratada com medicação adequada, exercícios, mudança de estilo de vida para eliminar os sintomas temos que observar as mensagens que ela traz, pois algo na relação com nós mesmos, com o outro, com o mundo está desalinhado, em desequilíbrio. Nesse aspecto devemos considerá-la como oportunidade para superar obstáculos, que nos impedem de viver uma vida mais plena.

A depressão é a perda do coração, a perda da conexão com nossa essência, é um sentimento de pesar que normalmente deriva da repressão da raiva e de ressentimentos.

Anúncio Patrocinado

Também está intimamente ligada a perdas, como eu já disse, a primeira perda é a perda do coração, que normalmente está relacionada à tristeza e ao fracasso que acompanham perdas específicas, como a perda de um ente querido, a perda de um trabalho, a perda da autoestima, a perda das posses, a perda das ilusões, e por aí vai.

O que de mensagem principal que eu quero falar a respeito da depressão não é o seu conceito, e seus sintomas, mas o que precisamos saber em qualquer situação de vida é que todos nós, ou a grande maioria de nós, colocamos nossos pontos de referência, aqueles que nos dão segurança, no outro, ou nas coisas, ou nas situações.

Então se qualquer um desses pontos de referência vir a faltar, ou a falhar, nosso mundo desaba, não estamos preparados para perdas, não sabemos olhar para a natureza e ver que tudo está em constante transformação, e mudança, e que nós fazemos parte disso.

As marcas da existência pelos ensinamentos budistas nos dizem que pela lei da impermanência nada permanece igual no plano externo, tudo está em constante transformação, até mesmo o Eu que pensamos ser está em constante mudança, e que o sofrimento é inerente à vida humana.

O sofrimento acompanha o homem no nascimento, na doença, na velhice, na morte, sofremos por não alcançar o que queremos, ou porque somos obrigados a enfrentar o que não queremos, ou porque não conseguimos controlar as circunstâncias.

Homem com expressão triste sentado à janela, com a mão segurando a cabeça.
Foto; Katarzyna Białasiewicz / 123RF

Ou seja, se tudo está em processo contínuo de mudança, é impossível controlar o que acontece. Não existe nada a que possamos nos agarrar que nos proporcione significado, segurança ou satisfação duradoura. Ter consciência dessa forma de ver a realidade pode não sanar uma dor profunda, mas pode ser o início para encará-la de frente e transcendê-la.

O tratamento da depressão pela Terapia Transpessoal consiste num conjunto de abordagens, em que vamos identificar sua causa ou possíveis causas e descobrir quais as narrações, construções mentais, interpretações que fazemos diante da experiência que vivemos.

Quais os sentimentos que há por trás das narrações depressivas e trabalhar com eles, seja dor, raiva, medo, impotência, tristeza, entre outros.

Quando tratamos esses sentimentos de forma fluida, eles se tornam um caminho a percorrer; quando nós os reprimimos, eles se tornam uma barreira.

Você também pode gostar

Nesse sentido a prática da meditação é uma ferramenta essencial, pois ela nos ajuda a não dar ênfase a essas narrações, vamos aos poucos calar nosso crítico interno, aquela voz que está sempre dizendo coisas negativas acerca de nós mesmos e da realidade, que o mundo é ruim, que as pessoas são más ou que eu não sou bom o bastante.

Vamos desenvolver a Atenção Plena para lidar com as facetas da mente. O que isso significa?

Estar presente, praticar a presença…. mas como assim?

É fácil saber quando não estamos presentes, quando corpo e mente não se encontram, quando você fala, faz ou até escuta algo, mas a mente está vivendo coisas do futuro e do passado.

A Atenção Plena desenvolve em nós um ceticismo saudável para com as facetas da nossa mente, pois acredite, a sua mente mente…

Mulher sentada no chão, com as pernas cruzadas, meditando.
Foto: Cliff Booth / Pexels

Não confie totalmente nela! Questione sempre que for possível, é claro que inúmeros acontecimentos nos causam tristeza, mas se não for o caso, e você se sentir triste, duvide desse sentimento ou de pensamentos que te causam maior tristeza, mude o que está fazendo ou pensando e tente ver o que acontece, a prática vai te mostrar que na maior parte das vezes sua mente está criando ilusões. E não estou falando aqui de apenas pensar positivo, pois não funciona, os pensamentos negativos funcionam em nós de duas formas, ou são interpretações equivocadas da realidade, ou são um seta para que fiquemos em alerta a respeito do que estamos sentindo; para ter essa qualidade de pensamentos, se for esse o caso, não convém eliminá-los, e sim substituí-los sempre que possível e investigar sua causa.

E por fim eu diria para abandonar os pontos de referência, em que apoiamos nossa felicidade, podemos amar a vida que temos, as pessoas, o trabalho, a casa em que vivemos, mas com consciência de que se ela amanhã não for a mesma, se por exemplo um vírus surgir e tudo que parecia estável se encontrar fora do seu controle, e você tiver que mudar de cidade, mudar de país, vender sua casa, mudar de relacionamento, a vida vai seguir seu fluxo… e temos que nos adaptar a ele.

Eu sei que falar é fácil, mas não vejo outro meio de seguir a vida, por mais tortuoso que seja seu percurso. Não espere tudo ficar em harmonia para se sentir bem, se sinta bem, faça isso por você, e a paz e a harmonia virão.

O post Depressão na visão da Terapia Transpessoal apareceu primeiro em Eu Sem Fronteiras.



Fonte do Artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui