A prática do silêncio e a sua influência em nossas vidas

Tempo de leitura: 3 minutos


Foi tomado como normal fazer muito. Foi julgado como completamente errado fazer nada. Hoje, não temos tempo para fazer o que gostaríamos de fazer, pois estamos sempre fazendo muito. Enquanto quem encontra algo que gosta de fazer e toma como ofício, estraga e aliena toda paixão que antes existia no ato de apenas criar. Nos acostumamos tanto a fazer muito que quando não estamos fazendo algo nos sentimos culpados. É uma culpa associada a um sentimento de impotência, incapacidade e inutilidade que aterroriza nossos pensamentos e nos torna pessoas ansiosas, deprimidas e inquietas. Uma pausa nunca é realmente uma pausa; um café, um cigarro, uma cerveja, sempre se procura fazer algo mesmo nos momentos que você objetiva descansar sua mente.

Silêncio

Infelizmente, como todo esse exercício de produção incansável pós-revolução industrial prejudicou a grande maioria da população com diversos tipos de complicações mentais. Algumas práticas que valorizam o silêncio e a noção interior como meditação e yoga, estão sendo bem difundidas como maneiras de manutenção da sanidade. Entretanto, quando falamos das práticas que valorizam o silêncio, é principalmente do silêncio interior que estamos falando. Uma maneira de encontrar a calma na redução de ruídos externos mesmo que a extinção desses seja quase impossível em locais urbanos. Não se trata de isolamento físico (por mais que isso seja um ótimo aliado para as práticas), trata-se de isolamento mental e da calma alcançada principalmente através do poder da mente e da imaginação.

O silêncio é comprovadamente benéfico, ameniza as tensões naturais do dia a dia, aumentando o pensamento criativo e a autorreflexão tanto quanto a produtividade e a autossatisfação.

Desde que esse silêncio seja opcional e a prática diária saudável, e não produto de isolamento e dificuldade de interação.

Existem algumas técnicas simples e eficazes para ajudar a introduzir o silêncio benéfico na sua vida. Aprender a desplugar-se dos portais de comunicação, por exemplo, é algo extremamente relevante quando pretendemos buscar o silêncio mental. Os smartphones cumprem um papel fundamental para colaborar com a inquietude, onde temos cobranças novas e necessidades de respostas rápidas todas as vezes que apenas direcionamos a tela para os nossos olhos, não é preciso mais nem desbloquear o celular para as notificações gritarem. Por isso, livrar-se das extensões digitais da nossa percepção pelo menos algumas horas por dia já é algo que lhe ajudará. Além de diversas linhas e técnicas de meditação e yoga para diversos fins específicos disponíveis no mundo.

Meditação e silêncio

Portanto, arrumar no mínimo alguns minutos de silêncio na sua semana é fundamental para a manutenção da sanidade. A melhor forma de alcançá-lo é completamente pessoal. Muitas pessoas encontram o silêncio até em momentos musicais entre notas e suas pausas e melodias. Outras, em práticas religiosas como orações e diálogos. Encontre a opção que mais lhe apetece e aproveite o som do silêncio na sua vida.


Você também pode gostar de outros artigos. Acesse: Azeite de oliva

O post A prática do silêncio e a sua influência em nossas vidas apareceu primeiro em Eu Sem Fronteiras.

Fonte do Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *